Publicado em Pessoal

Algumas coisas que aprendi em 2016

2016 está sendo um ano complicado pra quase todo mundo, né? Eu passei por umas merdas grandes esse ano, mas também aconteceram muitas coisas boas, então não posso dizer que o ano tenha sido ruim. Foi normal, com altos e baixos, muita dificuldade, muito aprendizado e a maior mudança interior que já passei na vida!

Eu já fui muito de tentar definir meus anos como “ruins” ou “bons”, mas hoje não vejo isso como algo eficiente ou real. Afinal, 1 ano tem 52 semanas, 365 dias (ou 366), então tem muita coisa rolando e nunca são coisas apenas ruins ou boas. E nas dificuldades também podemos tirar algo bom, como tudo o que aprendi esse ano que não teria aprendido se não tivesse passado uns perrengues. Para tentar não focar nas muitas coisas complicadas que aconteceram comigo, com os amigos, com o país, com o mundo, decidi escrever o que eu aprendi em 2016, pra focar nas coisas boas e tentar não cair na bad vibe de fim de ano que sempre me perturba.

giphy

 

1. Mesmo longe, com amor e boa vontade, a amizade e o amor não mudam.
Eu estava morrendo de medo de me distanciar dos meus amigos e da minha família por causa da minha mudança de cidade, mas esse ano me provou que amizade e amor, quando são fortes e verdadeiros sobrevivem e aumentam, não importa a distância física.

2. É possível fazer amigos depois de adulto com a mesma intensidade dos amigos de adolescência.
Acho que quando estamos perto dos amigos acabamos nos acomodando e mesmo fazendo novas amizades sempre rola uma separação daquele “grupo de amigos de sempre do fundo do coração” e dos novos amigos. Esse ano descobri que posso fazer amizades tão profundas que ocupam aquele lugar especial no coração sim!

3. Meditar é uma das melhores coisas da vida.
Comecei a fazer uma meditação budista  tibetana em grupo e meditações em casa sozinha e tem sido isso que me mantém centrada e sem vontade de sair correndo pelada pela Paulista completamente locona dos problemas. rs

4. É possível redescobrir paixões.
No ano passado eu voltei a bordar e esse ano aprendi mais e me aprofundei muito sobre este universo maravilhoso! E voltei a ler, coisa que estava “travada”.

5. Tá tudo bem ficar sozinha e ficar triste.
Ficar longe da família e dos amigos foi muito importante para eu aprender a ficar sozinha e a lidar com a tristeza. Tem horas que precisamos simplesmente parar, curtir a nossa própria companhia e chorar, depois a gente levanta e pensa em como seguir em frente. Ficar triste faz parte, só não dá pra ser todo dia.

6. É maravilhoso conhecer o lugar onde a gente mora.
Como eu não conhecia SP antes de me mudar pra cá eu visitei muitos lugares e sempre tenho curiosidade sobre a cidade. Hoje eu tenho uma tristezinha de achar que explorei pouco o Rio de Janeiro, poderia ter conhecido e vivido muito mais coisas por lá. Então a dica é: sejam turistas na sua própria cidade sim! Não esperem uma viagem pra se encantarem com novidades 🙂

7. Paulistas são muito simpáticos e acolhedores e eu amo morar aqui!
Eu vim achando que gostaria de morar em São Paulo, mas fiquei surpresa com a adaptação rápida e o quanto eu amo essa cidade e as pessoas daqui. (E cariocas implicam muito com paulistas, mas o contrário não é assim, o pessoal daqui é bem de boa. Cariocas, vamos parar de implicar com SP! rs)

8. Preciso de pouco pra viver.
Eu ainda moro em pensão, é um espaço micro, minha mudança está no Rio ainda, comprei pouquíssima coisa esse ano e tá tudo bem!!!! Preciso de amor, de amigos, da família, de comidinha gostosa, de Netflix, de paz interior… coisas são superestimadas e precisamos de bem menos pra viver bem.

9. Mudar é difícil e nos causa muito desconforto, mas no fim do processo é um alívio.
Esse foi um ano de mudanças intensas, reavaliei tudo, desde quem sou eu neste mundo louco, meus sonhos, até o que eu acredito no sentido religioso. Mudei minha visão sobre pessoas, conceitos, ideias, crenças, algumas coisas que nunca achei que mudaria. Foi muito doloroso, muito conflituoso, mas no fim eu sei que estou acabando 2016 como uma pessoa melhor do que eu era quando começou 2016.

10. Eu não sou obrigada a nada.
E com isso vou encerrando esta lista. Não sou obrigada a nada mesmo! Não sou obrigada a me forçar a entrar em padrões para agradar aos outros, não sou obrigada a conviver com pessoas que me fazem mal, não sou obrigada a viver do jeito que outras pessoas querem só pq elas querem, não sou obrigada a me desagradar para agradar aos outros. Porque no final sempre seremos criticados, então prefiro ser criticada fazendo coisas que me deixam mais feliz.

giphy-1

Anúncios

Autor:

Ana Paula Camina, 27, carioca morando em São Paulo, sonha em falar francês.

24 comentários em “Algumas coisas que aprendi em 2016

  1. Hehe, me identifiquei horrores com o teu aprendizado de 2016, principalmente na parte das mudanças e na redescoberta das antigas paixões (para mim, foi escrever). Teus textos sempre vem em boa hora, Ana. Beijos e feliz ano novo!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Priscila!! Que bom que você está nessa mesma vibe! Vamos focar nas coisas boas pq já chorei muito as ruins e agora é hora de seguir em frente. rs
      Amizade é uma coisa louca, né? Faz toda diferença na vida! ❤
      Beijos, que seu 2017 seja leve e lindo!

      Curtido por 1 pessoa

  2. Que 2017 seja foda.
    E sim, é possível fazer amigos depois de adulta e quando a gente muda vê como os laços da família são importantes. Acho meio nada a ver pessoal ficar negativando mto as coisas, a vida de ngm é 1000 maravilhas né?

    Curtir

    1. Chell, tô nessa torcida aí e querendo trabalhar muito pra fazer esse 2017 muito foda mesmo. rs
      Perfeito não será, maaas já cherei muito os problemas, se não focar nas coisas boas vou parar.

      Acho que todo mundo deveria ter a experiência de morar longe da família e amigos de infância, nem que seja por alguns meses. Crescemos tanto, né??

      Mil beijos

      Curtir

  3. Oi, Ana! Amei a ideia de listar o que você aprendeu durante o ano. De fato que 2016 não foi um ano fácil para ninguém, mas certamente foi um dos que mais nos renderam aprendizados. Eu cresci (e ainda estou em fase de amadurecimento) em todos as fases da minha vida, e sou extremamente grata por cada lição adquirida. Apesar de todos os perrengues, todas as lágrimas derramadas e situações conflituosas, 2016 foi um ano especial e que ficará para sempre na minha memória.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi Anna! Então o ano teve o mesmo significado pra nós duas! ❤

      Mas é bom tb, pra chegarem as coisas boas antes temos que passar por umas turbulências e aprender com elas.

      Torcendo pra gente poder ter um ano um pouco mais leve, mas ainda com muitos aprendizados.

      Beijo enorme!

      Curtir

  4. Aprendi o 2 e o 3 esse ano também. O 5, para mim, foi mais ou menos o que você falou mas com algumas modificações. Uma vez eu escutei a seguinte frase “A felicidade e superestimada”, na hora que escutei me bateu como algo pesado/ruim.
    Depois de um bom tempo pensando na frase, cheguei a conclusão de que a gente não sabe o que é estar triste. Muitas vezes confundimos sentimentos negativos (frustração, raiva…) com tristeza. Em outros momentos acreditamos que estamos triste, só porque não estamos sentindo a euforia da felicidade. Nos esquecemos que a felicidade tem várias “ritmos”.
    Infelizmente não somos ensinados a identificar e ligar com a tristeza. Fico feliz que você está achando esse caminho.
    Bem escrevi de mais, mas o seu texto me fez pensar bastante. ❤

    Curtir

    1. Oi Ana!!! Fico feliz que o que eu escrevi tenha te feito pensar, é sempre bom. rs

      Gostei tb de ver sua visão sobre felicidade x tristeza, vou pensar mais no assunto. rs

      Estava conversando com uns amigos na passagem do ano sobre isso, felicidade não é algo permanente, não chegaremos lá e seremos felizes o tempo todo, são momentos felizes em uma vida cheia de muitos outros sentimentos. 🙂

      Beijo e um 2017 lindo pra você!!

      Curtir

  5. Oi, Ana!
    Adorei. Meu ano foi bem parecido com o teu no quesito dificuldades e o balanço de aprendizados também. Meu maior desafio nesse ano foi lidar com a falta de dinheiro e depois, saindo da situação ruim, consegui perceber as lições valiosas que aprendi.
    Adorei o post!

    Beijos.
    BLOG COISA E TAL

    Curtir

    1. Oi Paola! 2016 foi um ano difícil pra caramba!!! Mas sim, posso dizer que foi muito bom pelo tanto de coisas importantes que aprendi. ❤

      Medite sim!! Sozinha, em grupo, de qualquer jeito é muito bom e ajuda demais a nos entender.

      Beijooos!!

      Curtir

  6. Que post incrível, Ana, adorei! Muitos dos pontos citados eu aprendi também durante os últimos anos, mas outros me deixam com esperanças e com vontade de ser mais aberta, como é o caso do fato de podermos fazer amizades intensas mesmo na vida adulta. Eu ando sofrendo com isso, viu? Estava culpando Curitiba por não me receber muito bem (vim pra cá recentemente), mas a verdade é que tudo depende só de mim, né?! 🙂 Fiquei muito feliz em encontrar o seu post. Bjs!

    Curtir

    1. Oi Bruna!!! Que bom que o post serviu pra algo. 😀
      Mudanças de cidade são muito difíceis, te entendo totalmente! Mas realmente temos que estar abertos pq é bem possível encontrar pessoas maravilhosas!
      Tô torcendo muito pras coisas ficarem mais leves por aí! Qualquer coisa se precisar conversar me procura que a gente se ajuda nesse processo. ❤
      Beijos!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s