Publicado em Pessoal

1 ano com muito amor em SP!

No dia 02/01/17 completou 1 ano que eu desci de um ônibus vindo do Rio de Janeiro para me mudar para uma cidade que eu nunca tinha visitado. Parece que vim ontem quando penso na minha vida no Rio e ao mesmo tempo que vim há 10 anos por causa de tanta coisa que vivi aqui. O importante é: depois desse 1 ano posso dizer com toda certeza que eu amo São Paulo e amo morar aqui!

Pra comemorar todo esse “Existe amor em SP sim!” quis fazer uma pequena retrospectiva. Bora? Bora!

Eu conheci lugares muito legais, alguns que tomaram meu coração, como por exemplo: o Parque da Aclimação (meu lugar favorito em SP), o bairro da Liberdade, a Avenida Palista, a Livraria Cultura, o Ibirapuera…

lugares que amei.jpg

Conheci pessoas divertidas, queridas, que me acolheram e me fizeram sentir em casa desde o início.

pessoas-que-conheci

Iniciei novos hábitos, como: observar e fotografar prédios, ir na feira toda sexta-feira, fazer mais passeios culturais, cuidar de plantinhas, ir ao parque com frequência…

coisaquefaco

Recebi visitas e mostrei muitas coisas que eu amei pra pessoas que eu amo (e espero esse ano receber muito mais visitas). E todos os momentos que eu fui visitar meus amigos e família foram especiais e cheios de amor, pq não dá pra se mudar de cidade sem ficar com aquele aperto no peito de saudade.

visitas.jpg

Existe muito amor nesta cidade e eu retribuo sempre que posso! E nada poderia ser melhor do que compartilhar esta experiência com a pessoa que me convenceu a vir para continuarmos construindo nossas vidas juntos. ❤ E vamos ver o que o universo está nos reservando pra esse ano!

IMG_20160208_131548.jpg

 

Publicado em Pessoal

Algumas coisas que aprendi em 2016

2016 está sendo um ano complicado pra quase todo mundo, né? Eu passei por umas merdas grandes esse ano, mas também aconteceram muitas coisas boas, então não posso dizer que o ano tenha sido ruim. Foi normal, com altos e baixos, muita dificuldade, muito aprendizado e a maior mudança interior que já passei na vida!

Eu já fui muito de tentar definir meus anos como “ruins” ou “bons”, mas hoje não vejo isso como algo eficiente ou real. Afinal, 1 ano tem 52 semanas, 365 dias (ou 366), então tem muita coisa rolando e nunca são coisas apenas ruins ou boas. E nas dificuldades também podemos tirar algo bom, como tudo o que aprendi esse ano que não teria aprendido se não tivesse passado uns perrengues. Para tentar não focar nas muitas coisas complicadas que aconteceram comigo, com os amigos, com o país, com o mundo, decidi escrever o que eu aprendi em 2016, pra focar nas coisas boas e tentar não cair na bad vibe de fim de ano que sempre me perturba.

giphy

 

1. Mesmo longe, com amor e boa vontade, a amizade e o amor não mudam.
Eu estava morrendo de medo de me distanciar dos meus amigos e da minha família por causa da minha mudança de cidade, mas esse ano me provou que amizade e amor, quando são fortes e verdadeiros sobrevivem e aumentam, não importa a distância física.

2. É possível fazer amigos depois de adulto com a mesma intensidade dos amigos de adolescência.
Acho que quando estamos perto dos amigos acabamos nos acomodando e mesmo fazendo novas amizades sempre rola uma separação daquele “grupo de amigos de sempre do fundo do coração” e dos novos amigos. Esse ano descobri que posso fazer amizades tão profundas que ocupam aquele lugar especial no coração sim!

3. Meditar é uma das melhores coisas da vida.
Comecei a fazer uma meditação budista  tibetana em grupo e meditações em casa sozinha e tem sido isso que me mantém centrada e sem vontade de sair correndo pelada pela Paulista completamente locona dos problemas. rs

4. É possível redescobrir paixões.
No ano passado eu voltei a bordar e esse ano aprendi mais e me aprofundei muito sobre este universo maravilhoso! E voltei a ler, coisa que estava “travada”.

5. Tá tudo bem ficar sozinha e ficar triste.
Ficar longe da família e dos amigos foi muito importante para eu aprender a ficar sozinha e a lidar com a tristeza. Tem horas que precisamos simplesmente parar, curtir a nossa própria companhia e chorar, depois a gente levanta e pensa em como seguir em frente. Ficar triste faz parte, só não dá pra ser todo dia.

6. É maravilhoso conhecer o lugar onde a gente mora.
Como eu não conhecia SP antes de me mudar pra cá eu visitei muitos lugares e sempre tenho curiosidade sobre a cidade. Hoje eu tenho uma tristezinha de achar que explorei pouco o Rio de Janeiro, poderia ter conhecido e vivido muito mais coisas por lá. Então a dica é: sejam turistas na sua própria cidade sim! Não esperem uma viagem pra se encantarem com novidades 🙂

7. Paulistas são muito simpáticos e acolhedores e eu amo morar aqui!
Eu vim achando que gostaria de morar em São Paulo, mas fiquei surpresa com a adaptação rápida e o quanto eu amo essa cidade e as pessoas daqui. (E cariocas implicam muito com paulistas, mas o contrário não é assim, o pessoal daqui é bem de boa. Cariocas, vamos parar de implicar com SP! rs)

8. Preciso de pouco pra viver.
Eu ainda moro em pensão, é um espaço micro, minha mudança está no Rio ainda, comprei pouquíssima coisa esse ano e tá tudo bem!!!! Preciso de amor, de amigos, da família, de comidinha gostosa, de Netflix, de paz interior… coisas são superestimadas e precisamos de bem menos pra viver bem.

9. Mudar é difícil e nos causa muito desconforto, mas no fim do processo é um alívio.
Esse foi um ano de mudanças intensas, reavaliei tudo, desde quem sou eu neste mundo louco, meus sonhos, até o que eu acredito no sentido religioso. Mudei minha visão sobre pessoas, conceitos, ideias, crenças, algumas coisas que nunca achei que mudaria. Foi muito doloroso, muito conflituoso, mas no fim eu sei que estou acabando 2016 como uma pessoa melhor do que eu era quando começou 2016.

10. Eu não sou obrigada a nada.
E com isso vou encerrando esta lista. Não sou obrigada a nada mesmo! Não sou obrigada a me forçar a entrar em padrões para agradar aos outros, não sou obrigada a conviver com pessoas que me fazem mal, não sou obrigada a viver do jeito que outras pessoas querem só pq elas querem, não sou obrigada a me desagradar para agradar aos outros. Porque no final sempre seremos criticados, então prefiro ser criticada fazendo coisas que me deixam mais feliz.

giphy-1

Publicado em Livros

Eu leitora

giphy (1).gif

Desde criança eu tenho amor pelos livros. Não me lembro quando e como isso começou, não consigo me lembrar de ver meus pais lendo muito e como sou a filha mais velha não tinha irmãos pra ver, porém na minha casa sempre teve uma estante com livros de vários tipos e eu tinha meus livrinhos infantis.

Um dia, acho que eu tinha uns 9 anos, eu peguei um livro chamado “A menina e a fantasia” que contava a história de uma menina e do seu amigo imaginário (imaginário?? fica a dúvida). Me lembro que quase morri de orgulho porque foi meu primeiro livro sem desenhos. rs

Meu amor pela leitura continuou, meu gosto foi mudando, amadurecendo, os livros foram aumentando de tamanho, o texto foi ficando mais difícil e sempre tinha um livro comigo pros momentos de fila e tédio. Além daquelas horas tranquilas no sofá ou na cama com um livro que não me deixava ir pra rua.

E aí começou a faculdade, os semestres foram passando e o tempo foi sendo cada vez mais tomado pelas leituras obrigatórias. A quantidade de livros de lazer era cada vez menor até que chegou a monografia (mais de 2 anos atrás) e eu lia e escrevia o tempo inteiro, mas apenas livros pra faculdade. Quando acabou a monografia aconteceu algo que me deixou meio apavorada, eu não conseguia mais ler!! Acho que o cansaço daquela intensidade do trabalho e o vício de ler textos pequenos na internet me deixaram com preguiça e eu simplesmente não conseguia me concentrar.

giphy (2).gif

Mas essa história vai ter um final feliz (tipo os 5 patinhos da Xuxa), desde o final do ano passado eu estou me forçando a ler, mesmo demorando mais de um mês pra ler um único livro eu me obriguei a tentar. Só que não era a mesma coisa, eu não me apegava ao livro do mesmo jeito, não tinha aquela vontade de passar horas deitada lendo.

E aí esse ano eu entrei no Goodreads e decidi colocar um desafio de ler 20 livros no ano (pra quem não lia nem um por mês fui bem audaciosa). Escolhi coisas mais simples na maior parte das vezes, mas já li 15!!! E a ótima notícia é: eu voltei a ler com vontade! Muita vontade!

Muitos livros que li na minha vida me ajudaram a ser quem eu sou hoje. E gostar de ler é uma parte importante pra construção da minha personalidade, dos meus valores e do meu conhecimento, então estou muito feliz de ter conseguido superar essa  fase e voltar a sentir o prazer que só um bom livro pode me proporcionar.

Se você está passando por uma fase estranha sem conseguir ler (ou ver filme, ou desenhar, ou qualquer coisa que te faça bem), tenha calma! Não desista, vai passar! E por aqui acaba o nosso momento auto-ajuda. rs Vou ali que eu decidi ler O Hobbit novamente e está tão divertido quanto 10 anos atrás!

giphy-3

 

Publicado em Gotas do cotidiano, Morando em pensão, Pessoal

Só um comentário?

Ontem estava conversando com uns poucos amigos aqui da pensão, chegou uma hora que o papo era a nossa vontade/falta de vontade de morarmos em outro lugar (esse assunto sempre chega, a conversa nesse ponto é igual toda vez e a vida segue).

E aí que em algum momento eu disse que precisava morar em outro lugar. E aí que o amigo disse que “eu ando meio louca” e logo disfarçou dizendo que eu ando menos paciente e que pode ser o fato de estar cansada daqui e tal.

E aí fiquei pensando: que isso!!! hahaha acho que estou assustando as pessoas e não tô sabendo.

PS: em minha defesa eu digo que com certeza ele foi leviano com a palavra. rs Eu ando sim mas impaciente e menos sociável, mas ainda falta um caminho bem longo pra chegar na loucura. Oremos.

Publicado em Pessoal

Fechada para balanço

Odeio quando eu fico meses sem escrever nada por aqui, nessas horas eu tenho vontade de excluir tudo, deixar pra lá, seguir a vida. Aí depois a vontade passa e eu volto a querer ter um espaço pra escrever.

Mas não é por acaso que eu sumo, acho que é quando estou me sentindo com bloqueio na vida. Não sei se cheguei a explicar isso por aqui, mas esse ano, além da mudança de cidade, tenho passado por muitas mudanças internas. Tenho questionado e repensado todos os aspectos da minha vida, desde a minha relação com meus amigos até o que eu penso sobre sociedade e religião. Tem sido um processo longo, doloroso, mas muito bom e necessário.

Em outubro completei 27 anos e acho que “fechei pra balanço”. rs Espero que após esse período eu fique mais focada e determinada pra pôr em prática alguns planos e seguir a vida melhor e mais saudável física e emocionalmente.

baby-shower-bazaar

 

Publicado em Musiquinhas, TAG

TAG: Minha Playlist

 

fita-cassete.jpg

Eu vi essa TAG no blog Yellow ever shine e guardei pra responder esse mês. Ela foi criada pelo Gustavo do Saga das Músicas. Quem gosta de música tem que visitar os dois!! 😀

Poucas pessoas vivem sem música (alô Yuri, vamos mudar issoaí?), eu gosto de fazer tudo ouvindo música, só não consigo ler e estudar com alguém cantando, então as músicas clássicas caem bem pra esse momento.
Qual é a graça de arrumar uma casa sem ouvir uma música? E aquele dia de trabalho que você não quer interagir com ninguém e coloca o fone de ouvido? E compartilhar aquela banda/música/álbum com um amigo que gosta de coisas parecidas? Gente, tem que ter músicaa! Vamos pras perguntas. 🙂

1- Qual foi a última música que você ouviu?
De acordo com o Spotify: I’ve been losing you – A-ha

2- Qual é o artista com maior número de músicas na sua playlist?
Eu tenho algumas playlists criadas no meu Spotify, olhando a que eu mais escuto o artista que ganha em número de músicas é: Kings of Convenience. ❤

3- Qual é a música mais tocada na sua playlist?
Ultimamente é: Leãozinho – Caetano Veloso.

4- Música que você fez download mais recentemente.
Eu nunca faço download de música, ou eu escuto no Spotify, ou no rádio ou no Youtube mesmo.

5- Álbum Favorito
São 3 álbuns que eu tenho escutado do início ao fim mais de uma vez por semana:

1 – Beatles

1 beatles

Caetanear – Caetano Veloso

caetanear.jpg

Dark Side of the moon – Pink Floyd

dar side.jpg

6- Música na qual você está viciado no momento
Praticamente qualquer uma do Pink Floyd por culpa da Mariana, mas principalmente: Time, Us and them e Shine on you crazy diamond.

7- Música menos ouvida da sua Playlist
Normalmente eu não pulo nenhuma, se eu me canso de alguma música eu tiro da playlist.

8- Uma Música, Artista ou Álbum que você indique
i_love_80sO que eu sempre escuto e acho que o mundo deveria escutar junto: músicas dos anos 80, essas baladinhas melosas e rock. Todo dia eu escuto a minha playlist chamada “Oldies Goldies”. Também indico minhas bandas favoritas: Queen, A-ha, David Bowie, Tears for fears, Pink Floyd, Morrissey, Kings of convenience.

Lembrando que música é momento, essas respostas mudarão drasticamente no próximo mês. Menos os artistas que eu indico, esses são favoritos da vida e no máximo alguém se juntará a essa turma. Me indica alguma música/banda que você goste. 🙂

BEDA 2016anacamina

Publicado em BEDA (august) 2016

Tem dias que não vai

Tem dias que simplesmente não vai! Os planos não saem, as respostas não chegam, você não consegue produzir. A semana passada foi assim e eu fiquei um pouco longe do computador, nem quis vir fazer os posts do BEDA no fim de semana.

Fiquei por um tempo chateada de falhar nesses dois dias, pensando em como compensar (faria mais de um post por dia? faria dois dias a mais e sairia do mês de agosto?) e agora resolvi desencanar, se não só estarei acrescentando mais um item pra me preocupar e já tenho coisas suficientes pra esquentar a cabeça! rs Não vou concluir os 31 dias e estou ok com isso, vou continuar o BEDA daqui pra frente e espero não pular mais dias.

Tem sido muito difícil pra mim não me importar com qualquer coisa, das mais sérias às mais idiotas e vou usar isso como um exercício. O que não for um problema tentarei não transformar em um. O blog é prazer, é um lugar onde eu venho pra relaxar e não vou transformar isso em dor de cabeça. 🙂

BEDA 2016anacamina